Indígenas na frente e atrás das câmeras no CurtaDoc

O índio narrando suas próprias histórias, gravando brincadeiras e fazendo política são assuntos do episódio Vida na Aldeia, tema dos cinco documentários em cartaz no CurtaDoc desta semana. A estreia é na terça-feira 18, às 21 horas, no SESCTV, com reapresentações até domingo.

“Eu tenho pensado bastante neste tema no sentido de achar que novas tecnologias são um esforço grandioso para que os povos indígenas renovem o seu modo de se autoperceber. Essa percepção faz com que a identidade destes povos seja reforçada e a memória seja mantida, preservada”, considera o escritor e filósofo Daniel Munduruku, convidado especial do programa.

Priara Jô – Depois do ovo, a guerra (2008), dirigido por Komoi Panará, apresenta um grupo de meninos da aldeia Nasepititi, no Mato Grosso, ensaiando uma guerra de brincadeira contra os índios Txukarramãe. Mesmo que atualmente sejam raros os conflitos armados entre os povos indígenas, as crianças herdaram dos ancestrais a história das guerras entre as tribos rivais.

Índio na TV (2000), de Vincent Carelli, mostra dois indígenas, um operando a câmera e outro ao microfone, entrevistando transeuntes na estação de metrô da Praça da Liberdade, em São Paulo, sobre a presença do índio na tevê. As filmagens foram feitas em 2008, quando a Rede Globo exibia a novela Uga Uga em que um dos personagens era um índio loiro.

Toré, Celebração e Resistência no Planalto Central (2008), de Eduardo Garcês, narra o drama dos indígenas que estão prestes a perder uma região da mata denominada por eles de Santuário Sagrado dos Pajés, situado entre o Parque Burle Marx e o Parque Nacional, em Brasília. A floresta é uma das últimas áreas de cerrado nativo do Plano Piloto e está na iminência de virar um condomínio de luxo.

Impej (2007), de Rafael de Almeida, é um documentário sobre a busca pelo significado da palavra “Impej” do povo Krahô, de Tocantins. Para a nação Krahô, tudo é Impej, tudo é espírito. Na busca do significado da palavra, os índios expõem sua visão de mundo, falando de suas condições de sobrevivência e da devastação do planeta pelos seres humanos.

Som da Rua – Índios (1997), de Roberto Berliner, fala de uma cisão tribal. No Sul do Pará, no início dos anos 1990, dissidentes da aldeia Gorotire, formada por índios Caiapós, resolvem deixar a comunidade e formar um novo grupo. A experiência não deu certo. O filme narra a tentativa de fundação da nova aldeia, celebrada com cantos e danças.

Com uma seleção dos melhores documentários em curta-metragem produzidos nos últimos 50 anos, o programa CurtaDoc vai ao ar semanalmente. Estão sendo exibidos 125 filmes selecionados de um total de 520 inscritos no em www.curtadoc.tv. As inscrições continuam e o site que será transformado em um banco de dados do documentário brasileiro em curta-metragem. A realização é do SESCTV e a produção da Contraponto.

O QUÊ: Programa CurtaDoc
EPISÓDIO 30: História Própria
QUANDO
: 18 de abril, terça-feira, 21 horas
REPRISES
: quarta (19) à 1h e às 15h; quinta (20) às 9h; sábado (22) às 22h; e domingo (23) às 19h
ONDE
: SESCTV, canal 3 da Sky em todo o Brasil

Outras operadoras, consulte: www.sesctv.org.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s