Labor ilha com inscrições abertas!

Projeto Labor Ilha é lançado pela Cinemateca Catarinense com apoio do Fundo Municipal de Cinema de Florianópolis

Imagem

Uma plataforma de experimentação de linguagem, um ateliê coletivo para lançamento de projetos pessoais, ou ainda um laboratório para agendar encontros multidisciplinares para discutir audiovisual.

Todas definições são válidas para definir o projeto Labor Ilha, segundo seus fundadores. Criado em 2012 a partir de uma oficina de filmagem e revelação em película reversível ministrada pelos cineastas Melissa Dullius e Gustavo Jahn no Museu de Imagem e do Som de Santa Catarina, o Lab – como é carinhosamente apelidado – é inaugurado com uma primeira fase chamada “Cinema de Exposição”.

“A vontade de executar um projeto de experimentação de linguagem vem bem no momento em que é preciso pensar o mercado criativo em múltiplos aspectos, como o processo de criação, além da finalização de um produto” afirma o cineasta Pedro MC, coordenador geral da plataforma.

O modelo de gestão e metodologia do Lab é importado de um projeto criado pela cineasta gaúcha Melissa Dullius e o catarinense Gustavo Jahn, residentes na Alemanha desde 2007. Na capital que mais investe no conceito de “cidade criativa” no mundo, uma antiga casa de banho desativada foi doada para o projeto Labor Berlin.

A dupla se organizou com outros artistas da Suíça e da França e há quatro anos vem proporcionando mostras de filmes autorais, encontros e itinerância em outros países fora da comunidade europeia, como Egito e Lituânia.

Para o lançamento do Labor Ilha, o cineasta Pedro MC e a artista visual Letícia Cardoso propõem o conceito de “Cinema de Exposição”, onde um filme é resignificado fora da sala de cinema convencional. Em maio deste ano o pesquisador Phillipe Dubois da Sorbonne Paris proferiu uma aula magna sobre o tema no curso de cinema da UFSC, apresentando a diversidade metodológica da reaproximação do cinema com as artes visuais através de dispositivos de invenção.

Segundo Letícia Cardoso “foi inventada uma fronteira entre o audiovisual e as artes visuais, sendo o que os difere na prática é o mercado e o incentivo da indústria cultural”. A artista lembra também que no maior evento de pesquisa de cinema no país, realizado pelo curso de cinema da Unisul agora em outubro, o Socine, teve palestra de abertura de Raymond Bellour e Roger Odin, referências canônicas sobre cinema expandido.

Para a montagem do laboratório e do espaço expositivo o Lab firmou parceria com o Studio 194, novo espaço de arte contemporânea da cidade, fundado pelos artistas João Rosa, Flávia Klein e Bruno Ropelato.

Inscrições abertas

Até dia 05 de novembro estão abertas as inscrições para os interessados em participar da primeira fase de cinema de exposição e inauguração do Labor Ilha. A inscrição é gratuita e o proponente selecionado vai ganhar um cartucho de filme em película 16mm preto & branco, a chance de revelar o seu filme, projetar num espaço expositivo e publicar um texto no catálogo.

São dez vagas disponíveis e para se inscrever é preciso criar e enviar uma receita como argumento para o email laborilhacoletivo@gmail.com com duração de 3m40seg e temática livre. A proposta pode ser composta por texto e imagens.

A produtora da exposição e do laboratório Bianca Scliar explica que “cada receita deve propor com clareza um argumento com ingredientes de linguagem, não necessariamente descritivos, mas com uma proposta provocativa que considere linhas de tensão e ambiguidades, já que os filmes são preto&branco e a projeção será com dois projetores simultâneos, formando um díptico”.

Cada proponente escolhido, no entanto, não vai filmar sua própria receita. A relação entre as receitas selecionadas será reorganizada e distribuída aleatoriamente entre os dez participantes, criando uma contaminação desejada que traduz de certa forma as misturas químicas necessárias para a revelação de película.

O mais legal ainda é que cada participante poderá telecinar depois sua filmagem criando seu próprio curta metragem. É preciso ler atentamente o regulamento na página do Labor Ilha no facebook ou no site laborilha.net.

E como plataforma para outros projetos, o Labor Ilha já está produzindo um “spin-off” o projeto LABarca, premiado no Edital Elisabeth Anderle 2013, com pré-lançamento na noite do cinema de exposição no Studio 194, dia 01 de dezembro.

SERVIÇO

O QUE: Cinema de Exposição, Lançamento da plataforma Labor Ilha, Inscrições abertas

QUANDO: Até 05 de novembro

ONDE: Exposição no Studio 194

LINKS: facebook.com/laborilha e laborilha.net (sem www)

CONTATOS:

Coordenação Geral

Pedro MC (48) 3733.4527 / 969l.4527

Curadoria

Letícia Cardoso (48) 9926.4224

Produção

Bianca Scliar (48) 9103.4834

Studio 194 (48) 3037.2993

Assessoria de Imprensa

Fifo Lima (48) 9146.0251

Anúncios
Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s